Dia, tarde, noite e madrugada fluindo de você, por você e de nós!

Devo corrigir a apresentação do blog, pois o título da obra   anunciada “Zeromundo – Um lugar da outra existência” (que virou logo e marca), passou a ser  O ZÍPER DA CIDADE E OUTROS QUADROS, como vocês poderão tomar conhecimento na notícia de lançamento do livro, que serve de  apresentação deste blog pela transcrição de seu parte do prefácio feito por mim, Benedito Bergamo: “A última frase do Manifesto Surrealista, de André Breton, remeteu muitos artistas ao mundo dos sonhos. As incursões artísticas ao mundo dos sonhos revelaram-se na demonstração fértil de que nossa identidade não está numa moldura ou fórmula isolada e solitária de entender o mundo a partir de nosso próprio umbigo, porque o sentido, a identidade de cada um, está na “presença” no mundo  e sujeito ao mundo. É esse estado de “presença” que permite o desenvolvimento da capacidade humana de atribuir um sentido de ser no mundo e compreender “existência inautêntica”  que nos é projetada e que afasta uma existência verdadeira. Vejo as expressões surrealistas do mundo dos sonhos, como um exemplo prático da “desconstrução”  do discurso de ser adequado aos conceitos que se impõem a nós, ditados por um racionalismo lógico formal, que exclui e marginaliza coisas reais, objetos ideais, sentimentos e valores que completam nosso sentido de vivência. Essa “desconstrução” não é simples negação, já que negar é próprio e muito adequado, como algo que pode ser lançado sobre o sujeito que se é, ou seja, negar o que se é, compõe a conclusão que somos o sujeito que a lógica racional permite existir como verdadeiro. … Desconstruir a existência racional “inautêntica”, também é identificar as ideias que impomos (ou que nos foram impostas) como regras para nos relacionarmos com o mundo e perceber, sem os óculos das ideias postas (preconceitos) que algo está se revelando em nossa rotina diária, está provocando nossos sentidos, que o mundo está passando pelo nosso pensamentoe, tudo isso, intuições, pensamentos, apetites e o mundo, passarão na mesma medida e condições em que nossa existência passa com eles.” (continua no Zíper)

Tags: , , , ,

5 Respostas to “Dia, tarde, noite e madrugada fluindo de você, por você e de nós!”

  1. henrique Says:

    zero a esquerda ou a direita, marco zero. A bola tá rolando…que quiser que continue.

  2. kátia Says:

    Olá !!!! … , procurei, procurei, até que te encontrei….dei uma olhadinha pois estou em meu trabalho …e para ler o que escreve tem que parar um instante para refletir e sentir…..vou fazer isso….
    Um beijão para voce …..
    kátia.

  3. maralice Says:

    Adoro sua prosa poética.
    Saudades…..

  4. Nara Janusz Says:

    Olá
    Sou a Nara do teatro. Nos conhecemos no La barca e faz tempo queé para entrar aqui e não tenho tempo. Finalmente consegui e que bom, pois adorei sua prosa poética. Adoro Fernando Pessoa. Parabéns pelo blog, é uma boa pedida para quando a gente precisa se alimentar de pensamentos menos cotidianos e mais vivos do que as conversas sem nexo dos bares, apesar de que também é arte. Também é Filosofia.
    Um abraço

    Dê uma olhado no meu, se puder, escrevo poemas.
    http://pluriactiva.blogspot.com/
    Nara Janusz

  5. Stanley Pontatlantica Says:

    Muito boa desconstrução da inautenticidade racional… sua leitura esta ficando cada vez mais fluida e leve, como poesia de câmera.

    Abraços e vamos abrir o Zíper da Cidade com Sticky Fingers!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: