ZIPER DA CIDADE – 16º. QUADRO da obra ZEROMUNDO

O céu não está longe, mas o inferno é bem mais próximo. Os poetas viajam desatentos aos sinais de indicação de retorno ou de parada, só lhes importa a descoberta de novos rumos de um eterno prosseguir, pois não há céu e nem inferno que possa satisfazer esses seres incontidos e libertários nos destinos desta cidade. Eu queria desistir de São Paulo e de seus quadris, mas a enganação de me permitir sair, quando você se levanta de mim, se repete e repete, até que toda a minha energia para partir vira um pensamento vago, uma calma, uma paz passageira que permite a realização espiritual de recriar seu corpo no escorrer da minha língua úmida sobre a delicada superfície sua pele para criar um desenho perfeito de seios, umbigo e virilhas, com perfume do cheiro do calor mormo dos seus cabelos pretos nus que brilham no movimento do reflexo da luz da cidade que vem da janela. Você se agrada vendo minha pintura sendo desenhada através espelho. Ouço o ritmo que justifica a força de suas coxas macias e o vermelho de suas unhas passeando em seus lábios umedecidos pela alquimia da minha língua. Tudo da cidade nos quer em ato, fato e fruto da noite com suas luzes distantes e trêmulas que permitem a revelação da contração de seu ventre, que se contrai, vez ou outra e outra vez, como se a filosofia fosse querer transformar-se em fantasia e te libertar dos gemidos para a linha do horizonte. Eu fico a te olhar, ainda ligado a você, através da leveza de uma linha de um balão de gás iluminado pelo fingimento ser lua. Só neste ponto é possível ouvir a música que aquele saxofonista tocava. Era a música de uma dor por um amor que caía refletido num abismo de vidros translúcidos. Eu tentei ir embora, mas voltei, porque me lembrei do seu zíper aberto que eu, ainda, não tinha fechado.

Tags: , , , , ,

5 Respostas to “ZIPER DA CIDADE – 16º. QUADRO da obra ZEROMUNDO”

  1. regina Says:

    nossa, muito lindo! gostei de tudo por aqui
    parabens!

  2. Luciana Zapparolli Says:

    Parabéns Bene!!!
    Adorei….

    Luciana

  3. lupe Says:

    Esta cidade é mesmo uma sereia que nos captura os sentidos a cada tentativa de seguir viagem…prosa poética de primeira; imagética e sexy. “Tudo na cidade nos quer em ato…” Perfeito !
    Abrçs, Lupe.

  4. zeromundo Says:

    Dear Benedict,

    Seu texto no Zeromundo Ziper da Cidade – está fantástico. Possui todas as qualidades literárias que leva o leitor a lê-lo atentamente, povoando a mente com o lúdico, metáfora, com o ler nas entrelinhas e ter interpretações multifacetadas.
    Espero que você continue escrevendo sem parar. Talentos assim não podem parar de escever.
    Um abraço,
    Picollo

  5. Vivian Kelly Says:

    Exatamente 00:00 de uma terça-feira.
    E eu sem me conter, li 7 vezes esse 16º quadro.
    O mais impressionante, é que a cada vez que lia, eu viajava mais!!!
    Parabéns!!!

    Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: