Archive for outubro \31\-03:00 2016

31 de outubro de 2016

Na luz  da sala da casa materna

 humano

  ventre

 verbo

destino comum

vidro e plástico

 na passagem do sentido primeiro da luz

perto da  imagem

que parece santa

resistindo a  pregos e paredes

no tempo das

fotografias

Apresentação do autor no livro “E ou poesias”

31 de outubro de 2016

Poeta não erra. Pratica rasuras.

Foi assim, praticando rasuras que  cheguei  à construção  do “E OU” como um conjunto de textos poéticos, articulado  por um índice em que o “e” permitiu a escolha dos textos poéticos antigos, novos  e reescritos e o  “ou” permitiu a dúvida de que  os textos deste livro,  uns impregnados de  repetições sonoras,    outros de imagens que  visam afetar o imaginário visual ou aqueloutros de misturas de sensações em confusões intelectuais ou mensagens filosóficas, possam  representar um caminho  de identificação  de um gosto poético. Umas imitações. Brincadeiras de criança com coisas insensatas. Um modo de escrever  para  tornar  aquilo  de alheio na poesia como algo próprio do seu  leitor  que, no caso desse livro de poemas,  é você meu amigo, pois só os amigos, esses espécimes, meio mágicos meio magos, são os  que  sempre aparecem para  nos lembrar dos valores conhecidos “e” de  explorar valores novos na vida “ou”  num  livro de poesia.

Enfim,   este livro  nada mais é  do que um conteúdo de verdades filosóficas absolutas do jogo livre de imaginação em liberdades  da expressão escrita, que tangenciam o invisível dos pregos enfiados no horizonte, porque “as coisas que não existem são mais bonitas”, como diz Felisdônio comendo papel no poema “Mundo Pequeno”  de Manoel de Barros (1916 – 2014), e, também, porque a “Natureza ama esconder-se”, segundo Heráclito de Éfeso (535 a.C.- 484 a.C.).
O autor

Opinião de quem gosta de blues

18 de outubro de 2016

Pois

se você

quer

um mal

conselho

Viva o inferno dos  afetos

Sorria com os amigos

Chore

chore

pro  espelho

Curta

mande mensagem

e ligue

(Liga agora, porra!)

Encontre nos achados

Sinta saudade

dos perdidos

dos fodidos com som de U

Faça música

Atue

Faça poesia

Leia poesia

Ouça poesia

Erre feliz

com  o um  de todo mundo

com um de todo mundo

E perceba

A quantidade de existência

Na dúvida

De um

Bom

Conselho